LOADING

Shopify: O Que É e Como Usar a Plataforma (+ 6 Lojas Inspiradoras)

Controle de Projetos, Tarefas, Clientes e Colaboradores

Img
Img

[ad_1]

Se você pesquisa sobre a indústria do comércio eletrônico, provavelmente já ouviu falar da Shopify.

Essa empresa tem grande aderência de administradores brasileiros.

Isso pode ser atribuído a diversos motivos, entre eles a simplicidade com a qual permite gerenciar lojas virtuais.

Afinal, são muitas as responsabilidades, que passam pelo design, estrutura do site, estoque, logística, opções de pagamento e muito mais.

Para evitar dores de cabeça, muitos empreendedores recorrem às plataformas facilitadoras no e-commerce.

É exatamente aí que entra a Shopify.

Se você quer saber mais sobre essa ferramenta, como utilizá-la e ver alguns exemplos, continue a leitura.

No texto de hoje, mostrarei tudo que você precisa saber antes de contratar os serviços da gigante canadense.

Então, pegue o seu cafezinho e vamos adiante.

O que é Shopify?

shopify em dispositivos móveis

A Shopify é uma plataforma que auxilia na criação, estabelecimento e divulgação de lojas virtuais na internet.

A solução tomou forma em 2004, no Canadá, quando os criadores da ferramenta tentavam gerar seu primeiro comércio eletrônico.

Depois de diversas falhas, conseguiram identificar uma dor muito presente em quem queria investir nas vendas online.

Foi assim que, dois anos depois, surgia a Shopify, um software voltado a simplificar os complexos processos para dar origem a um e-commerce.

Hoje, o sistema tem grande abrangência em caráter mundial.

Para se ter uma ideia, empresas instaladas na plataforma já geraram mais de $ 135 bilhões em vendas – dados da própria Shopify, em 2019.

Entre as suas principais funcionalidades, temos a criação e a personalização da loja, a possibilidade de realizar vendas em múltiplos canais, várias ferramentas de marketing e painel de gerenciamento simplificado.

Como funciona o Shopify?

Sede da empresa Shopify

Como o objetivo do Shopify é simplificar a vida de empreendedores digitais, essa plataforma funciona de maneira bem intuitiva.

A primeira ação para começar a utilizá-la é entrar no site e realizar um cadastro clicando no botão “Começar”.

A seguir, insira seus dados de e-mail, a senha e o nome da loja.

Depois de alguns segundos, a sua primeira plataforma de comércio eletrônico será automaticamente criada.

A ferramenta ainda solicitará algumas respostas relacionadas ao tipo de produto e a receita do seu negócio.

Na sequência, preencha seus dados de endereço.

Pronto!

Você estará dentro da plataforma.

Na interface interna, a própria ferramenta oferece um tutorial de navegação, mas você mesmo pode explorá-la.

Na aba “Início”, você pode adicionar produtos, personalizar o tema e adicionar o domínio da sua loja.

Além disso, há algumas sugestões de leitura e recomendações para otimizar o seu trabalho.

Na aba “Pedidos”, você verá o histórico de seus clientes.

Além disso, há também um registro dos carrinhos de compras abandonados, cuja observação se faz necessária para aumentar as taxas de conversão.

Já a aba “Produtos” oferece todas as informações relativas aos itens disponíveis na loja.

Ou seja, o que há na vitrine, principais transferências, estoque, coleções e administração de cartões-presente.

Seguindo em frente, temos a aba “Clientes”.

Eles serão adicionados automaticamente ao fazer o cadastro ou podem ser importados de planilhas externas.

Entre as informações dos consumidores, temos o nome, e-mail, telefone, endereço, observações e algumas tags personalizáveis.

A próxima é a “Analytics”, que mostra métricas valiosas para obter insights e qualificar a estratégia.

Esse números são muito importantes, pois levam o administrador a tomar decisões certeiras.

Aqui, temos dados relativos a total de vendas, ticket médio, total de pedidos, vendas por origem de tráfego, vendas por rede social e muitas outras.

Ah, também é possível segmentar por um determinado período de tempo para análise de histórico e comparativos.

Os relatórios de vendas, aquisição, margem de lucro, marketing, finanças e outros estarão em um subgrupo.

Por fim, há também o acompanhamento em tempo real, marcado pelo indicador “Live view”.

Aqui, você poderá observar o comportamento dos consumidores na loja no exato momento em que realiza a análise.

Mais à frente temos a aba “Marketing”.

Nela, há sincronização com ferramentas poderosas, como Facebook e Google Shopping.

É nesse local que são configuradas as ações automáticas e o vínculo com aplicações externas.

A aba “Descontos” permite a criação de códigos que serão distribuídos quando o gerenciador julgar necessário.

Ao chegar ao fim da lista, você se deparará com a aba “Apps”, que permite encontrar soluções de desenvolvedores para aprimorar o desempenho da loja.

Uma das mais famosas é a Oberlo, um formato de dropshipping que permite a criação de lojas sem a necessidade de estoque.

O próximo item é a “Loja virtual”.

Aqui, você poderá realizar qualquer ajuste relacionado ao seu comércio eletrônico.

Isso inclui temas, posts no blog, páginas de produtos, configurações de navegação, domínios e preferências relacionadas ao SEO (Search Engine Optimization), integração com o Google Analytics, pixel do Facebook e senha.

Também é possível adicionar novos canais de venda, a exemplo de:

Para acessar as configurações, clique na engrenagem no canto inferior esquerdo da tela.

Aqui, temos alguns recursos extras, como provedores de pagamento, opções de checkout, frete, gerenciamento de impostos, carregamento de arquivos, permissões de conta, faturamento e idioma.

Ao clicar sobre o nome do administrador logado na canto superior direito, novas opções são abertas.

Você tem acesso às configurações de perfil, central de ajuda, fóruns da comunidade e atalhos de teclado.

Também há a possibilidade de contratar um especialista da própria Shopify para ajudá-lo na implementação da loja.

Como você pode ver, há oportunidades variadas para usar a Shopify a favor de seus objetivos.

Quais as vantagens e desvantagens do Shopify?

vantagens e desvantagens da plataforma shopify

Toda plataforma digital apresenta prós e contras.

Por isso, você deve avaliar se essa é realmente a melhor solução para o seu negócio.

A seguir, conheça as vantagens e desvantagens do serviço oferecido pela Shopify.

Fácil utilização

Com seu design intuitivo e descomplicado, é muito fácil começar a usar a Shopify.

Esqueça as antigas ferramentas de e-commerce, com milhares de opções e detalhes para serem configurados.

Por meio dessa solução, sua loja pode estar online em questão de minutos.

Design responsivo

A Shopify aplica o design responsivo automaticamente em suas lojas.

Isso quer dizer que as páginas podem ser acessadas em desktops, tablets, notebooks e smartphones sem perda de performance.

E por que isso é bom?

Simples: você não corre o risco de perder uma venda por conta do dispositivo utilizado pelo consumidor.

Gestão de estoque

Outra vantagem da Shopify é a gestão de estoque.

Por meio da própria ferramenta, incluindo o aplicativo móvel, você pode atualizar os dados e verificá-los em tempo real.

Ou seja, o gerenciamento de qualquer atividade é realizado de maneira instantânea, bastando alguns cliques para executar qualquer ação.

Problemas com SEO

Apesar de todas essas vantagens, a plataforma também apresenta alguns problemas.

O primeiro deles se relaciona à otimização para mecanismos de buscas (SEO).

Por conta da utilização de subdiretórios, algumas das páginas não apresentam o formato ideal para um bom ranqueamento.

Necessidade de serviços de hospedagem

Para ter o seu próprio domínio, você precisará contratar um serviço de hospedagem externo.

Caso contrário, as páginas permanecerão com o modelo de URL fornecido pela Shopify.

Essa é uma ação recomendada, já que esse elemento traz um ar de profissionalismo à loja.

Limitação de idioma

Se o seu objetivo é expandir para outras localidades, é possível que encontre alguns problemas.

Isso porque a ferramenta não permite a criação de lojas em múltiplas línguas, então, você precisará criar páginas específicas para cada idioma.

Para quem essa plataforma é recomendada?

A Shopify é uma das plataformas líderes no mercado de e-commerce.

É, portanto, recomendada para quem deseja investir nesse mercado ou quer ganhos em produtividade e lucratividade em lojas virtuais.

É o seu caso?

Então, só resta saber como começar.

Planos e preços da Shopify

planos da plataforma shopify

A Shopify oferece a experimentação gratuita da plataforma sem a necessidade de inclusão de dados do cartão.

No entanto, para realizar as vendas, você precisará escolher um dos planos.

A seguir, saiba quais são os disponibilizados na ferramenta.

Basic Shopify

O plano básico da Shopify é comercializado a 29 dólares por mês.

Aqui, a taxa de transação é de 2%.

Nesse caso, há um limite de duas contas de equipe.

Ele também inclui os recursos blog e site de e-commerce, produtos ilimitados na loja, atendimento ao cliente, vendas em marketplaces e redes sociais, criação manual de pedidos, códigos de desconto, certificado SSL grátis e recuperação de carrinho de compras abandonado.

Shopify

Já o plano seguinte, o Shopify, sai por 79,99 dólares mensais.

Nesse caso, a taxa e transação é de 1%.

E o limite de contas pula para cinco.

Além de todos os recursos presentes no plano básico, oferece cartões presente e relatórios profissionais.

Advanced Shopify

O plano avançado pode ser adquirido pelo valor de 299 dólares por mês.

A taxa de transação é de 0,5%.

Já o limite de contas triplica para 15.

O Advanced Shopify tem todos os recursos do plano Shopify, com os adicionais do criador de relatórios avançados e taxas de frete calculadas por terceiros.

Tipos de lojas Shopify

lojas shopify

Em resumo, existem três tipos de lojas para as quais a Shopify apresenta soluções.

Saiba quais são elas agora!

E-commerce de produtos físicos no Shopify

A primeira opção é a mais popular: a venda de produtos fisicos.

Aqui, os itens são gerenciados pelo administrador, assim como todas as demais funcionalidades da loja.

E-commerce de serviços no Shopify

Outra opção interessante é o comércio de serviços no Shopify.

Nesse caso, o prestador de serviços pode simplesmente criar os itens para facilitar o processo de negociação em qualquer segmento.

Dropshipping no Shopify

Já o dropshipping é o modelo de negócio no qual não há necessidade de estocagem.

Ou seja, há um fornecedor, fabricante ou atacadista por trás de todo o processo.

Assim, a loja funciona somente como uma vitrine para fechar o negócio.

Os detalhes do pós-venda, como entrega, atendimento e suporte ficam por conta do fornecedor.

Recursos do Shopify

recursos para a plataforma shopify

Ao utilizar a Shopify, uma série de recursos será ativada automaticamente.

Agora, vamos descobrir quais são eles.

Otimizado para SEO

A plataforma integra alguns recursos essenciais para a otimização do Google.

Entre eles, temos as tags, a descrição da loja e termos de categorização como “produtos” ou “coleções”.

Fácil de usar

Outro diferencial interessante é a quantidade de recursos de fácil utilização contidos na Shopify.

Apesar da gama de possibilidades, a estrutura segue uma lógica.

Portanto, até mesmo empreendedores iniciantes não devem encontrar problemas para criar e gerenciar suas lojas.

Design e flexibilidade

Com um design responsivo e uma boa quantidade de templates disponíveis, podemos dizer que o layout é personalizável e atraente.

Formas de pagamento

O Shopify oferece algumas opções de forma de pagamento, como cartões de crédito de diferentes bandeiras, PayPal, BitPay e até mesmo bitcoins.

Integrações e APIs

Também é possível integrar a loja virtual com uma série de aplicações que são encontradas no menu da plataforma.

Relatório

Os relatórios mais complexos são permitidos a partir do plano avançado.

Já os mais simples são disponibilizados no plano Shopify.

6 Exemplos de sites

exemplos de sites que utilizam o shopify

Agora que já vimos bastante sobre o Shopify, vamos conhecer alguns exemplos de sites construídos por meio da plataforma.

1. Negative Underwear

A loja de roupas íntimas Negative Underwear se destaca por seu design elegante e facilidade de navegação no website.

Negative Underwear como exemplo de site que utiliza Shopify

2. Ugmonk

Já a marca de roupas Ugmonk começou como um projeto secundário, mas logo conheceu o sucesso e alçou voos mais altos.

UGMONK como exemplo de site que utiliza Shopify

3. Mark Wenn

A empresa Mark Wenn, de acessórios e sapatos, ganhou muito destaque ao apostar em estratégias de marketing voltadas ao público masculino.

Mark Wenn como exemplo de site que utiliza Shopify

4. Watch Outfitter

A Watch Outfitter, uma empresa de relógios, se apresenta uma plataforma de vendas para atacado com preço de varejo.

Watch Outfitter como exemplo de site que utiliza Shopify

5. SoYoung Inc

Com uma linha voltada para mamães, a SoYoung Inc se destacou muito nos últimos anos.

SoYoung Inc como exemplo de site que utiliza Shopify

6. Sunday Somewhere

Por fim, os óculos Sunday Somewhere conquistaram o devido espaço no mercado ao apostar na qualidade, simplicidade e originalidade dos produtos.

Sunday Somewhere como exemplo de site que utiliza Shopify

Conclusão

Agora, você está apto a decidir se a Shopify é a melhor solução para os seus problemas.

No texto de hoje, aprendemos tudo sobre essa plataforma, incluindo o que é e como utilizá-la.

Além disso, vimos quais são suas vantagens e para quem é recomendada.

Também sobre os preços e características de cada plano oferecido, assim como os tipos de loja que se beneficiam do formato.

Por fim, chegamos aos recursos e exemplos, que não poderiam faltar em um artigo informativo.

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!

E fale também sobre o que espera da Shopify na sua estratégia.

[ad_2]

Fonte do Post

Leave a Comment